Projetos

O Núcleo de Pesquisa e Documentação Rural (NUPEDOR) vem de uma trajetória de pesquisa qualitativa, de corte longitudinal voltada a uma continuada experiência de investigação junto aos assentamentos rurais do estado de São Paulo. Temos desenvolvido, ao longo dos últimos 25 anos, pesquisas sobre assentamentos rurais sob a forma de projetos integrados (respectivamente). Passamos a uma breve descrição desta trajetória:

  1. Análise e Avaliação dos Projetos de Reforma Agrária e Assentamentos no Estado de São Paulo, projeto igualmente com apoio da FINEP e FUNDUNESP. Duração 1989-1995, sendo financiado como auxílio integrado pelo CNPq entre 1993 e 1995. Este projeto teve como principais resultados: a) construção de perfis socioeconômicos dos assentamentos do Estado de São Paulo, surgidos em diferentes períodos, originários de distintos planos de reforma agrária; b) publicação do 1º Censo de Assentamentos Rurais do Estado de São Paulo, 1995, construção multidisciplinar bastante significativa do ponto de vista da produção do conhecimento e do exercício da integração de enfoques múltiplos e de pesquisadores provenientes das mais diferentes áreas científicas;
  2. Assentamentos Rurais: a construção de um novo modo de vida em um campo de possibilidades e diversidades. Desenvolvido entre 1996-1999, com uma equipe grande de bolsistas de iniciação científica e de aperfeiçoamento;
  3. Inserção dos Assentamentos de Reforma Agrária às Economias Regionais: indicadores de qualidade de vida e de integração ao meio ambiente. Desenvolvido entre 1999-2003,com resultados bastante significativos no âmbito da produção acadêmica;
  4. Poder Local e Assentamentos Rurais: expressões de conflito, de acomodação e de resistência, 2004-2007;
  5. Assentamentos Rurais e Desenvolvimento: tensões, bloqueios e perspectivas (uma análise comparativa em duas regiões do Estado de São Paulo) - 2007-2010. Este projeto tem íntima relação com a pesquisa desenvolvida pela Profa. Dra. Dulce Consuelo A. Whitaker (“As idades da vida: estudos de representações sociais sobre juventude, envelhecimento e modos de vida em assentamentos de reforma agrária”), bolsa/produtividade CNPq;
  6. Assentamentos Rurais x Desenvolvimento: integração, diversificações, contrapontos e complementaridades 2011-2015, CNPq. Dá continuidade ao projeto anterior e aprofunda as investigações comparativas sobre as consequências da integração dos assentamentos aos complexos agroindustriais e as perspectivas de diversificação agrícola e agroindustrial na região de Araraquara e no Pontal do Paranapanema;
  7. Relações de Gênero e Iniciativas de Outro Modelo de Desenvolvimento: análise da participação das mulheres em assentamentos rurais - CNPq, 2009-2010. Finalizamos o projeto que teve como resultado extremamente positivo a pesquisa sobre gênero no meio rural, que nos deu a oportunidade de promover capacitação e acompanhamento das questões de gênero no meio rural;
  8. Os assentamentos rurais sob a perspectiva de gênero: divisão sexual do trabalho e políticas públicas em análise - CNPq, 2011-2012. Este projeto se encontra em andamento, e tem como prioridade oferecer capacitação e assessoria a futuras empreendedoras e aquelas que já possuem envolvimento direto com associações ou grupos de geração de renda. As pesquisas sobre gênero possibilitaram a inserção de nosso grupo em um no projeto descrito abaixo;
  9. Capacitação em Gênero e Inserção no Atendimento em Rede às Mulheres em Situação de Violência - Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, 2010-Atual. Projeto ainda em andamento ofereceu a mulheres assentadas, em situação prisional e a lideranças comunitárias capacitação para enfrentamento à violência, tornando estas mulheres multiplicadoras na realidade por elas vivenciada;
  10. Chamada Pública MCTI/CNPq/MEC/Capes - Ação Transversal nº 06/2011 Casadinho/Procad - para o quadriênio 2012-2015. Assentamentos Rurais, Quilombos e Desenvolvimento: Bloqueios e Perspectivas a partir de Diversidades Regionais. Envolve equipes de docentes-pesquisadores do Programa de Pós-Graduação (Mestrado) em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente da Uniara (Centro Universitário de Araraquara) e do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Agrícola, da Faculdade de Engenharia Agrícola (FEAGRI) da UNICAMP (Universidade Estadual de Campinas), interessados em aprofundar suas investigações acerca da relação entre assentamentos, quilombos e desenvolvimento;
  11. Contrato CRT/SP/nº 100000/2010 Processo nº 541900045542/2010-98 - INCRA - Uniara 2010-2012. Contrato que previu a contratação da Uniara, por meio do Mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente, para prestação de serviços em assessoria em desenvolvimento nos assentamentos rurais e comunidades quilombolas do INCRA-SP em todo o estado de São Paulo. Este projeto permitiu uma maior integração dos docentes e discentes do curso de mestrado em torno de um objetivo comum (a pesquisa e a extensão em assentamentos rurais), além de possibilitar um significativo aumento de bolsistas envolvidos no trabalho. A participação de alunos em diferentes estágios de formação no contrato lhes permitiu obter uma formação diferenciada, que incorpora uma visão abrangente sobre a problemática do desenvolvimento regional e rural do estado de São Paulo. Além disso, obtivemos uma integração com a problemática latino-americana, especialmente boliviana, como consequência da participação de dois pesquisadores oriundos deste país.
  12. Da invisibilidade ao protagonismo: relações de gênero nos assentamentos, nos projetos de desenvolvimento sustentável e nos territórios da cidadania - 2013-2014. Este projeto dá continuidade às pesquisas sobre o desenvolvimento dos assentamentos rurais, especificamente com recorte nas relações de gênero, com uma proposta de se aprofundar a análise nos papéis das mulheres assentadas e das políticas públicas voltadas a elas. Além disso, devemos ressaltar que nossas pesquisas tiveram foco nos assentamentos constituídos nos primeiros tempos da política de reforma agrária, assentamentos da modalidade PA (Projeto de Assentamento). Uma nova conjuntura política e a criação de uma série de novos assentamentos ao longo da década de 2000, no estado de São Paulo, nos impuseram como exigências de parâmetros analíticos, o tempo de constituição e a modalidade de assentamento. Por isso, a inserção dos assentamentos mais recentes e da modalidade PDS (Projeto de Desenvolvimento Sustentável), além de assentamentos inseridos em Territórios da Cidadania, vai ao encontro de nosso propósito de realizar uma pesquisa comparativa que leve em conta conjunturas diferentes na implementação de assentamentos.
  13. Pesquisa e Extensão em Modalidades Diferenciadas de Assentamentos: contrapontos e complementaridades em duas regiões do Estado de São Paulo - 2013-2016. Pretende-se com este projeto aprofundar as análises em direção às relações sociais moleculares, que constroem a dinâmica dos contextos sócio-políticos nos quais os assentados estão inseridos, a partir dos eixos temáticos em torno da integração agroindustrial e da diversificação agrícola nos assentamentos. Neste sentido, propõe-se uma análise comparativa entre assentamentos novos e antigos quanto à execução das políticas públicas. O projeto tem objetivos claros quanto à qualificação da produção agropecuária a partir das capacitações, fomentar a formação de grupos e associações ligados a produção e comercialização e fornecer subsídios aos órgãos públicos com avaliação de políticas de assentamentos.
  14. 30 Anos de Assentamentos Rurais em São Paulo: um Balanço das Contradições, Bloqueios e Perspectivas. O projeto propõe realizar um balanço da trajetória dos assentamentos rurais em São Paulo, levando-se em conta, primeiramente, que não se trata de um diagnóstico baseado em parâmetros de eficiência econômica. Mas, como expressão da diversidade social e regional que permeia as distintas dinâmicas territoriais, as quais revelam, em sua realidade multidimensional, uma relação tensa entre a utopia e a política pública, entre o projetado e o vivido. Tais experiências são compreendidas, neste balanço, ligadas às lutas pela conquista e pela manutenção da terra por parte de distintos grupos sociais marginalizados política e economicamente; ao conjunto de políticas públicas geradas em resposta a essas lutas, bem como aos possíveis projetos políticos que envolvem e dão sentido às lutas e às ações oficiais. Neste contexto, faz-se necessário igualmente analisar a relação nem sempre harmoniosa entre a integração e diversificação dos sistemas produtivos e os caminhos trilhados para o desenvolvimento rural, numa perspectiva ampliada, na qual são levados em conta os modos de vida, as tramas de tensões sociais derivadas do confronto dos agentes e das agências que se (dis) põem neste campo específico.
  15. Pesquisa-Ação e Construção de Proposta Agroecológica para a Agricultura Familiar da Região Central do Estado de São Paulo. Pretende-se com este projeto dinamizar o Núcleo de Pesquisa e Extensão em Agroecologia, no Centro Universitário de Araraquara - Uniara, com sede no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente. O objetivo principal é a busca da sustentabilidade na agricultura em todas suas dimensões: produtiva, ecológica, energética, social, econômica e política. O Núcleo priorizará atuar junto à agricultura familiar presente na região Central do Estado de São Paulo, em projetos de ensino, pesquisa e extensão. O projeto é conduzido por equipe multidisciplinar, de docentes e pesquisadores, técnicos e estudantes de pós-graduação e graduação. A proposta contempla ações de pesquisa diretamente ligadas com a realidade das famílias agricultoras, bem como busca a incidência de seus resultados no âmbito da capacitação e da formação das famílias, nos sistemas produtivos e nas políticas e ações públicas. São priorizadas metodologias participativas e interlocução com os agentes da agricultura familiar, técnicos e gestores públicos. Por meio do projeto, temos realizado áreas de demonstração para treinamento de agricultores, caravanas agroecológicas para conhecimento e trocas de experiências, cursos de capacitação para resolver problemas práticos da produção e da transição agroecológica. O projeto também priorizará a realização de um curso presencial, com o qual pretendemos dar início a um programa continuado de formação reunindo famílias agricultoras, técnicos e técnicas da assistência técnica, estudantes de graduação e de pós-graduação.
Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N