202105110441

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Notícias

Em estudo, aluno de Fisioterapia da Uniara analisa a prevalência de lesões musculoesqueléticas em praticantes de judô

Publicado em: 24/03/2021

Em seu Trabalho de Conclusão de Curso – TCC, o aluno da graduação de Fisioterapia da Universidade de Araraquara – Uniara, Antonio Claret Vezzani Junior, analisou a “Prevalência de lesões musculoesqueléticas em praticantes recreacionais de judô”, sob orientação do professor André Capaldo Amaral.

“A prática do judô integra situações variadas de contato físico e exigências específicas, o que o torna uma modalidade competitiva e com alto índice de lesões musculoesqueléticas - LME. O estudo transversal teve por objetivo avaliar e caracterizar a prevalência de LME em praticantes recreacionais de judô e, para isso, foi considerada a prática recreativa daquele atleta graduado nas faixas branca, azul, amarela, laranja ou verde”, explica Vezzani Junior.

Como conclusão da pesquisa, ele menciona que foi possível “captar todos os dados propostos em questionário e, a partir deles, realizar algumas observações”. “Além disso, sugerimos que a não sistematização do treinamento, alinhado com o despreparo musculoesquelético observado, pode ter relação na instalação de LME em judocas recreativos”, aponta.

O estudante conta que a casuística integrou dezesseis atletas voluntários do sexo masculino, com faixa etária de dezoito a trinta anos. “Para tomar informações sobre lesões, utilizou-se um questionário fechado e enviado via plataforma online. Foram relatados dez atletas - 62,5% - com queixa de LME, sendo que três deles - 30% - se lesionaram durante a pratica do judô, seja em treino ou competição. A relação entre os fatores associados às LME foi realizada por análise descritiva quantitativa dos dados compilados. Quanto à localização anatômica das lesões ocorridas durante prática do esporte, observamos que lesões em região de joelho ou perna foram relatadas em 100% dos casos”, detalha.

Outro ponto mencionado por Vezzani Junior foi que praticantes recreativos com histórico de lesão durante treino e/ou competição de judô, tiveram índices de massa corporal elevados. “Podemos sugerir que traumas articulares são predominantes nessa modalidade e, além disso, o elevado índice de massa corporal e a falta de um treinamento específico e periódico podem constituir características preditivas de lesão entre judocas nessa divisão”, afirma.

Os resultados obtidos por meio dos testes serão importantes, segundo o aluno, para diagnosticar as condições funcionais em relação aos traumas musculoesqueléticos em atletas recreacionais de judô, “o que proporcionará aos voluntários e a todos os interessados, uma oportunidade de aprendizado e de condutas preventivas e eficientes”. “A pesquisa também nos dará a conscientização de seu estado físico e irá expor a eles os benefícios da prática de atividades físicas, permitindo que busquem soluções para corrigirem e melhorarem seus hábitos, além de diagnosticarem possíveis características que predispõem a lesões”, destaca.

Já no âmbito científico, “o trabalho permitirá identificar se a prática recreativa do judô está diretamente ligada às principais lesões identificadas nesse esporte e se há algum parâmetro nessa prática esportiva necessária para que aconteçam, além de contribuir para o conhecimento comum e responder as lacunas no que se referem ao tema, já que são escassos os seus estudos”.

Amaral, que orientou o TCC de Vezzani Junior, revela que “o projeto inicial, com um tema muito interessante dentro da parte de fisioterapia esportiva, seria para avaliar a influência do treinamento de judô em características funcionais relacionadas tanto à postura dos atletas quanto ao que chamamos de estabilidade dinâmica, que se traduz na capacidade de a musculatura conseguir dar eficiência a eles em sua postura estática ou quando executam um movimento”. “Infelizmente, a pandemia de coronavírus – Covid-19 impediu que os atletas fossem avaliados, mas conseguimos aproveitá-los para colher informações a respeito da prática do esporte e também correlacionar essa prática com a ocorrência de lesões esportivas durante a prática do judô”, ressalta.

Nesse contexto, o docente coloca que, por meio das informações obtidas dos questionários, “conseguimos estabelecer um estudo epidemiológico a respeito do risco de lesão durante a prática do judô, confrontando com características como o tempo de treinamento e o grau de desempenho esportivo”. “Então, são dados muito importantes que, no fim, nos permitem inclusive traçarmos estratégias de prevenção de lesão. Foi uma pena não termos conseguido executar a parte prática do projeto, mas conseguimos, mesmo na pandemia, um conjunto de informações relevantes sobre a prática do judô, e pensamos em, assim que possível, colher os dados dos exames físicos desses atletas e concluir o projeto como um todo”, finaliza.

Informações sobre o curso de Fisioterapia da Uniara podem ser obtidas no endereço www.uniara.com.br ou pelo telefone 0800 55 65 88.

 



Últimas notícias:

Busca

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /

Saiba o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações. Utilizamos cookies essenciais e analíticos de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

ENTENDI