202101190853

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Preconceito quebrado nos tatames

Por: BIANCA ZANATTA ROCHA

15/10/2014

Hoje em dia, as aulas de artes marciais, taxadas como “masculinas”, possuem cada vez mais mulheres, chegando a ocupar mais de 50% das turmas nas academias.

Além de um corpo definido, elas também buscam melhorar a autoconfiança para enfrentar os problemas do dia-a-dia, pois a prática de lutas como o judô, muay thai e jiu-jitsu ajudam na defesa pessoal das atletas.

Para a araraquarense Lívia Renata Souza, a Lívinha, o amor pelas artes marciais vem desde pequena. Sempre hiperativa, Lívinha conheceu o esporte aos 7 anos de idade e nunca mais parou. Hoje ela é dona de diversos títulos nacionais e internacionais e, até agora, possui no MMA profissional com três lutas e três vitórias.

Lívinha diz se sentir bem por ver tantas mulheres seguindo seu exemplo. “De certa forma, eu abri algumas portas para elas. Não diria que eu as incentivei, mas gosto de saber que o número feminino está crescendo nas academias de artes marciais aqui de Araraquara”, afirma a atleta. 

“Acredito que a maioria das mulheres opta por lutas porque a monotonia da academia em si é muito ruim. Por exemplo, quem quer seguir um ritmo que dê rendimento,  fazer alguma luta ,com certeza, é a melhor escolha”, completa a lutadora.

Com todo esse aumento, as academias que antes não tinham um cardápio muito diferenciado e praticamente só contavam com modalidades como Karatê e Judô, hoje apresentam cada vez mais opções. Entre as aulas mais procuradas pelas mulheres estão: Boxe , Jiu-Jitsu,Tae Kwon Do e Mauay Thai.

Especialistas garantem que a prática das artes marciais, de forma regular, aumenta a resistência física e força, melhora o equilíbrio, acelera o metabolismo, torneia a musculatura de todo o corpo e, ainda, ajuda a eliminar o estresse acumulado durante o dia. Então, o ideal é deixar o preconceito de lado e  procurar uma modalidade que se encaixe com a personalidade e o corpo das pessoas interessadas na prática de artes marciais. Vale a pena experimentar uma aula. 

(Publicado em 15/10/2014 - 19h52).



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/

Saiba o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações. Utilizamos cookies essenciais e analíticos de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

ENTENDI