Ageuniara

Abuso sexual agora é classificado como crime hediondo. Medida agrada policial

Por: FELIPE BENEDETTE CORRÊA

14/06/2014

Alteração em lei federal permite maior punição aos criminosos e é aprovada por quem trabalha no combate ao crime em Araraquara. A lei mais rígida contra o abuso sexual de menores, sancionada no dia 22 de maio pela presidente Dilma Rousseff, trata o criminoso de forma mais dura e prevê punições mais severas.

Agora, o abuso se igualou a crimes como o latrocínio (roubo seguido de morte), estupro, homicídio qualificado, extorsão mediante sequestro e genocídio, sendo considerado como um crime hediondo. O condenado cumpre um período maior no regime fechado e não tem direito à fiança.

Segundo a delegada da Delegacia da Mulher (DDM) de Araraquara, Meirilene Rodrigues, foram registrados sete casos desde o início do ano. “Pelo menos, um crime de abuso sexual é praticado todo mês”, constata a policial.

A delegada acredita que a nova lei pode ajudar a diminuir os crimes desse tipo. “Aprovo na nova lei, porém não adianta nada a lei ser severa e não ser aplicada; é preciso ter mais rigor neste sentido”, alerta. Só no ano passado foram 29 casos, ou seja, mais de dois crimes de abuso sexual por mês. “Acredito que as autoridades locais terão mais facilidade e segurança de cumprir seus deveres em atender denúncias e efetuar prisões", afirmou.

As denúncias podem ser feitas através dos números 100 ou 161 e não é necessário se identificar.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/