Ageuniara

Livro escrito por padre relata a vida de Santa Gemma Galgani

Por: ANA PAULA DE SOUZA CORREIA

04/10/2011

O padre Mauro Odoríssio, da paróquia de São Sebastião e do Sagrado Coração de Jesus ( que pertence à Congregação Passionista), de São Carlos (SP), escreveu um livro sobre Santa Gemma.

Intitulado "Santa Gemma Galgani: a gema de Jesus",o livro foi publicado pela Palavra & Prece Editora ( 1ª edição, 2009), de São Paulo, e editado no formato 14 x 21 cm. A obra contém 328 páginas. Há semanas atrás o padre Mauro ficou sabendo que a edição está esgotada.

O livro relata a história de Santa Gemma uma jovem italiana que desde criança ainda sentia-se elevada para o transcedental.

“Sem dar uma de neoplatônico, acho interessante a afirmação de Plotino: o ser humano tem Saudades de Deus. O pai era farmacêutico, perdeu tudo e ela viveu numa família que a acolheu. Uma pessoa da família, sob a orientação do diretor espiritual dela e do bispo, a seguia", diz.

De acordo com o padre Mauro, a Santa desejava ser monja passionista. "Cedo fiquei conhecendo a vida dela. Compreendi como o povo, com a intuição que o caracteriza, viesse a amar tanto a Santa", relata o padre.

Segundo ele, durante anos um colega insistia para que ele escrevesse o livro. Mas o padre Mauro lembra que vivia ocupado, com muitas aulas, com o ministério presbiteral, escrevendo bastante e sempre dizia que estava ocupado, o que, de acordo com ele, era verdade. Só que no fundo, o padre temia chocar, ou seja, “escandalizar” as pessoas, pois o seu objetivo era edificar e ajudar.

O padre Mauro explica os motivos que o levaram a escrever o livro.“Já conhecia um pouco a Santa. Acho que cresci fazendo a viagem ao interior daquele coração. Viajei como estudioso, sim, mas também como alguém que tem um mínimo de iniciação das coisas de Deus. Fui descobrindo uma alma maravilhosa. Ela era hiperestésica: trazia as chagas em seu corpo, sinais de flagelação que chegavam e desapareciam de um momento para o outro, precognição, visões, telecinesia, etc. Jamais deu maior importância a isso e queria ser como as outras. Era reservadíssima e obedientíssima, mas ocultou tudo isso. Poucas pessoas puderam constatar",salienta.

"Eu imaginava que, encarando esses fenômenos à luz da parapsicologia, muitas pessoas iriam se escandalizar, por isso demorei a escrever o livro. Mas, não sei como, os pedidos foram aumentando e chegou um insistente, até da editora. Rendi-me e, em espaço não muito dilatado, escrevi o livro. Baseei-me, unicamente, em meus conhecimentos bíblicos, parapsicológicos e nos escritos da Santa (Diário, Autobiografia e Cartas) e na vida de Santa Gemma escrita pelo padre Germano, passionista, que foi o diretor espiritual dela.Isso, pelo fato dele ter tido muito contato com a Santa. Evitei ser biógrafo com tinturas religiosas",relata.

O padre observa que levou em consideração o contexto histórico da Santa que, segundo ele, teve um coração enamorado, tocado pela graça de Deus. "Meu propósito foi, à luz das Escrituras, fazer uma viagem ao interior da Santa e descobrir a reação de um coração enamorado, como disse, tocado pelo amor divino”, opina.

Conforme o padre Mauro, na medida do espaço que dispunha, argumentou da melhor maneira possível. "E me baseando também em testemunhos da Santa. Para mim, os fenômenos que ela produzia inconscientemente, eram puramente normais, embora não comuns. Todavia, aquele coração nobre, tocado pela graça divina, levava a Santa a produzir, no próprio corpo, o que era dado a determinadas pessoas constatarem. Então, se sou capaz de ver as maravilhas de Deus numa flor, em Santa Gemma eu vi uma flor consciente que correspondia ao amor divino.”

Sobre suas publicações ele relata que já tem por volta de 35 livros publicados, mas as circunstâncias o levaram a invadir a seara alheia, como é o caso da "vida" de Santa Gemma.

Ele revela que ainda tem outros livros no "forno", mas o tempo é limitado.Agora, ele aguarda informações da editora para saber se existem, ainda, exemplares que lhe cabem."Até o momento só tenho tido alegria com o escrito",finaliza

Conheça um pouco da história do padre Mauro

Nascido em Dourado (SP), seu nome civil é Aurimar Antonio Odoríssio e passou a se chamar Mauro de Jesus, pois antigamente para nivelar todos os religiosos era de costume trocar os nomes, sem que houvesse nobre e plebeu.

Sua família materna era de São Carlos(SP) e acabou mudando-se para cidade onde concluiu o primário e depois foi para o seminário menor, com apenas 12 anos de idade.

Padre Mauro Odoríssio cursou filosofia na Faculdade Nossa Senhora Medianeira (jesuítas) e teologia na Faculdade Nossa Senhora da Assunção (PUC).Sua especialização é em Ciências Bíblicas (exegese), pelo Pontifício Instituto Bíblico da Universidade Gregoriana.

Estudou também no Instituto Bíblico Franciscano de Jerusalém, em Israel.

Ele declara que sua vocação sacerdotal nasceu no contato com os Passionistas (que são um grupo de cristãos, sacerdotes e leigos, que vivem em comunidade fraterna, dispostos a anunciar aos homens e às mulheres o Evangelho de Cristo), no qual passou a admirar.

Saiba onde encontrar o livro

Na paróquia de São Sebastião e do Sagrado Coração de Jesus ainda há alguns exemplares. A igreja está localizada na Avenida Doutor Carlos Botelho, 2371, no centro de São Carlos ou pelo telefone (16) 3371-2226.Pode-se obter mais informações também no site da Palavra & Prece Editora que é www.palavraeprece.com.br



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/