[ mostrar mensagem ]

COMUNICADO

A Rádio Uniara FM 100,1 está temporariamente fora do ar para ajustes técnicos.

Em breve, toda a programação da rádio estará normalizada. Agradecemos a compreensão de todos os nossos ouvintes

Cordialmente,

Universidade de Araraquara - Uniara

[ ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

USP desenvolve líquido atóxico contra mosquito da dengue

Por: ERICA PAULA NASCIMENTO

19/08/2010

Um pesquisador da USP desenvolveu um líquido átóxico, que elimina as larvas do mosquito da dengue criando uma película na água, o que imnpede o mosquito de depositar seus ovos.

O mosquitocida-algicida foi inspirado em uma película desenvolvida em 2005 em outro projeto. O objetivo da época era reduzir as perdas de água por evaporação em reservatórios. Obteve-se um produto que reduz pela metade a taxa de evaporação de uma massa de água.

O produto foi desenvolvido pelo engenheiro químico Marcos Gugliotti que atualmente faz pós-doutorado no Instituto de Física do campus de São Carlos da USP. Por meio do Programa FAPESP Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) foi testado em laboratórios da Universidade de São Paulo (USP) e da Superintendência de Controle de Endemias do Estado de São Paulo (Sucen).

O líquido atóxico projetado para ser aplicado em massas de água elimina algas e ainda mata várias espécies de mosquitos. Trata-se de um surfactante (ou tensoativo) que funciona ao mudar as características da superfície da água.

Ao ser aspergido, o produto forma uma película na superfície da água reduzindo a tensão superficial do líquido. É essa tensão que impede que os mosquitos afundem enquanto botam ovos na água. Sem ela, asas e patas ficam encharcadas e o inseto acaba afundando.

Contra o Anopheles aquasalis, espécie comum em várias regiões do Brasil e que transmite a malária, a película se mostrou muito eficaz. Em apenas duas horas o produto eliminou completamente as larvas e as pupas da espécie. Em outro teste, o filme eliminou 98% das pupas do mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti.

Se uma pessoa ou um animal beber água com a película, o produto não causará mal algum à saúde. Além disso, ele é inerte, ou seja, não reage com outras substâncias. E em testes toxicológicos o produto se mostrou inofensivo a peixes, crustáceos e moluscos. Aves aquáticas, como patos e gansos, também não foram afetados e conseguiram nadar normalmente sobre a película.

O filme mosquitocita e algicida é biodegradável e se decompõe em um período de 48 horas, em média. Por isso, após esse tempo precisa ser renovado. Sua eficiência pôde ser verificada em lagos, reservatórios de água parada e em rios com fluxos lentos e laminares.

O produto pode ser encontrado também na forma de pó. Um quilo do produto é suficiente para cobrir uma superfície de 10 mil metros quadrados. A mesma área pode ser preenchida com a aspersão de um litro do surfactante em sua versão líquida. Gugliotti procura agora parceiros interessados na produção e na comercialização da película. A estimativa é que o produto seja comercializado a R$ 22 o quilo.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/