202101272351

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Programa do Silêncio Urbano pretende limitar sons e ruídos exagerados

Por: FLAVIA CHIOSSI POLI

07/06/2009

Cerca de 60% das denúncias contra o sossego público em Araraquara são solucionadas. Segundo dados da prefeitura local, 30% das reclamações que acionam o PSIU, o Progrma do Silêncio Urbano, são originadas do centro da cidade, onde existem muitos bares e lanchonetes frequentados principalmente ás quintas, sextas e sábados.

Sancionada em 6 de outubro de 1994 e emendada em 6 de março de 1996, a lei do “Silêncio Urbano”, o PSIU, veio com intuito de limitar sons e ruídos exagerados que provocam incômodos e interferem na saúde e no bem-estar das pessoas.

O PSIU só pode ser acionado em casos em que estabelecimentos comerciais ou logradouro público incomodem e nunca para ruídos produzidos em domicílios. A fiscalização fundamenta-se em duas leis: a 11.501, que regula a emissão de ruído e a 12.879, que prevê o fechamento de bares sem isolamento acústico e segurança.

A médica Regina Reis da Silva, especialista em otorrinolaringologia, relata que o excesso de ruidos pode causar danos à saúde dos moradores dessas regiões. Quando as pessoas estão expostas a ruídos altos, acima de 50 decibéis, durante um período prolongado, a audição pode sofrer danos que resultam em deficiência auditiva.

“O barulho constante impede o descanso, causa sintomas de estresse e agitação. Depois de algum tempo o organismo se acostuma e há casos em que algumas pessoas só conseguem dormir se o rádio ou televisão estão ligados”, explica a médica.

O assunto causa divergências. Para quem quer descansar a lei é perfeita. Já para quem curte balada, como Tatiane Castro, de 19 anos, estudante e frequentadora dos bares da região, o barulho é fundamental. “Acho que é uma lei inviável, que leva os locais ao prejuízo".

Luiz Sartori, da gerência de Posturas da prefeitura, explica quais as providências a serem tomadas por quem se sente perturbado com o barulho alto de algumas pessoas. "Se a Polícia não toma providências, redija uma carta e envie ao gabinete da Promotoria,no Fórum, relatando principalmente a inércia da autoridade policial em atender aos pedidos de providências".

Sartori observa que os veículos com som alto também são prejudiciais. Os guardas municipais podem ser credenciados para auxiliar na obediência do código de Posturas e agem somente através de denúncias. "Cidadania é uma postura que precisa ser estimulada", disse Sartori. A partir da denúncia, o infrator é notificado e chamado a respeitar os limites da lei do silêncio.

Para ter mais informações sobre o Disque-PSIU, é preciso contatar a prefeitura, pelo telefone 3301-5000, de segunda a sexta, das 8h às 18h e também pela internet no site: www.araraquara.sp.gov.br.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/

Saiba o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações. Utilizamos cookies essenciais e analíticos de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

ENTENDI