202101190630

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Araraquara busca alternativas para reciclagem do lixo

Por: PAMELA MICHELE JERONIMO

07/10/2004

A prefeitura de Araraquara(SP) em parceria com a Coordenadoria do Meio Ambiente, está atenta às questões ambientais e trabalha no sentido de transformar a cidade, num local moderno com qualidade de vida.

O primeiro problema a ser resolvido é o aterro sanitário que recebeu sistemas de drenagem do chorume, para evitar que esta parte líquida do lixo atinja os lençóis freáticos, evitando a infiltração e a contaminação do solo e da água subterrânea.

As 130 toneladas de lixo, produzidas na cidade, vão para a usina de compostagem. Todo resíduo orgânico é separado para ser transformado em adubo.

De acordo com Otávio Okano, diretor de Controle de Poluição Ambiental da Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental(CETESB), o que é reciclável, como latas, papéis e plásticos, é vendido para indústrias.

"São medidas que, além de proteger o meio ambiente, constituem um trabalho social, porque geram empregos para 35 ex-catadores do lixão, que formaram uma associação, receberam curso de capacitação e trabalham na usina uniformizados e com equipamentos de segurança, separando o lixo", diz.

Okano explica, com detalhes, que o entulho das obras e reformas, das construções são aproveitadas e que a usina de compostagem cuida do processo de reciclagem que reaproveita esse tipo de lixo para produzir bloquetes para calçadas e nivelamento e pavimentação de estradas de terra.

As embalagens de agrotóxicos também representam outro grande problema ambiental, na àrea rural, pois alguns agricultores ainda desconhecem quais os procedimentos a serem tomados, como, por exemplo, evitar que as embalagens sejam jogadas em locais inadequados, colocando em risco os mananciais, os animais e o próprio homem.

Segundo José Jorge Guimarães, gerente da Agência Ambiental de Araraquara, essas embalagens tóxicas são aproveitadas por indústrias que fabricam conduíte de fios elétricos.

"Araraquara foi uma das primeiras cidades do país a preparar um galpão e armazenar este tipo de embalagem, antes mesmo que a lei federal sobre a questão entrasse em vigor", informa.

Guimarães, ressalta que as usinas da região têm promovido ações que visam à preservação do meio ambiente que merecem destaque, como a recuperação das nascentes e áreas de preservação permanente,coleta seletiva e central de reciclagem e a instalação de Estação de Tratamento de Efluentes.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/

Saiba o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações. Utilizamos cookies essenciais e analíticos de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

ENTENDI