[ mostrar mensagem ]

COMUNICADO

A Rádio Uniara FM 100,1 está temporariamente fora do ar para ajustes técnicos.

Em breve, toda a programação da rádio estará normalizada. Agradecemos a compreensão de todos os nossos ouvintes

Cordialmente,

Universidade de Araraquara - Uniara

[ ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Ciclovias: uma via de transporte inteligente

Por: PEDRO JUNQUEIRA FRANCO DE CASTRO

10/04/2014

As ciclovias, vias especiais para circulação de bicicletas, surgiram em Paris no ano de 1862 como caminhos especiais nos parques para os velocípedes não se misturarem com as charretes e carroças e teve seu uso massificado na Alemanha, nos anos 30, com a intenção de separar as bicicletas das redes viárias que começavam a ser tomadas por carros.

Ainda hoje a principal função da ciclovia é garantir a segurança dos ciclistas, que praticamente sem proteção alguma, dividem o mesmo espaço com automóveis e motos cada vez mais velozes e em maior número.

Araraquara(SP) possui três trechos cicloviários, sendo um no bairro Vale do Sol, outro no Santa Angelina e um terceiro que liga o Quitandinha ao Campus da Universidade Estadual Paulista(UNESP), porém o uso da bicicleta como meio de transporte ainda é pouco incentivado.

Segundo o vice-prefeito e coordenador de Mobilidade Urbana da cidade, Antonio Ferraz, mais conhecido como Coca, as ciclovias são pouco utilizadas hoje em dia e a prefeitura não pretende incentivar o uso das bicicletas por uma questão de segurança. “A bicicleta é muito insegura, o risco de sofrer um acidente grave andando é muito maior que nos outros veículos, só a motocicleta é mais perigosa.”

Para Ferraz, a cidade não tem cultura do uso desse meio de transporte e ainda não é o momento de expandir seu uso. “Eu acho que é um pouco precipitado incentivar o uso, nós devíamos ter uma melhoria na segurança no trânsito, para depois incentivar seu uso",observa.

Entretanto, o vice-prefeito afirma que pretende investir em ciclovias de lazer e em bicicletários na cidade para incentivar o ciclismo como forma de entretenimento. “Só temos um bicicletário no Centro, mas nossa intenção é aumentar o número destes e investir em ciclovias de lazer", conclui.

Yuriê César, de São Carlos(SP), é formado em Geografia e desenvolveu em seu mestrado um estudo sobre o uso da bicicleta. De acordo com ele, a bicicleta é um excelente meio de transporte. “Além de trazer benefícios para a saúde de quem a utiliza, ela é o meio de transporte mais econômico e ecológico.”

César salienta que a principal barreira para expansão do uso desse meio de transporte é a falta de infraestrutura nas cidades. “Temos as barreiras relacionadas a grandes distâncias e ao clima que podem não favorecer seu uso, mas o principal entrave é que no Brasil tudo é voltado para o automóvel, falta infraestrutura básica para usar a bicicleta.”

O especialista ressalta também que a falta de educação no trânsito e a impunidade dos motoristas que não respeitam os ciclistas, aumentam os riscos do uso desse meio. “Muitos motoristas não têm noção que ali em cima da bicicleta existe uma vida, se todos motoristas respeitassem o ciclista não seria necessário ciclovias.”

Para ele o uso de bicicletas vem aumentando a cada ano, “Cerca de 10% da população brasileira usa bicicletas, antes se usava por necessidade, mas nos últimos anos se passou a usar por opção.”

César não acredita que somente a ciclovia seja capaz de resolver os problemas relacionados ao uso desse meio de transporte. “As políticas públicas para bicicletas não devem incluir somente ciclovias, mas todas as questões relacionadas à infraestrutura e educação no trânsito.”

O educador físico e vendedor, Marcelo Marçal, de Araraquara, usa a bicicleta como seu único meio de transporte, há mais de 10 anos. “Uso a bicicleta todos os dias, faço todo meu deslocamento na cidade com ela.”

Além dos benefícios na saúde e das vantagens econômicas, Marçal destaca sua facilidade de locomoção. “Eu chego ao meu trabalho antes do ônibus que eu pegaria para ir até ele, meu poder de deslocamento e contemplação é muito maior.”

Ele conta que já sofreu alguns acidentes pela falta de respeito que os motoristas têm com o ciclista. “É fácil andar na cidade por que ela é plana, mas rola muito desrespeito,os motoristas não dão seta e não mantém a distância segura, que é de um metro e meio.”

Para Marçal, faltam incentivo e infraestrutura para o uso da bicicleta na cidade. “Araraquara precisa de mais ciclovias e bicicletários, é visível o aumento do uso das bicicletas na cidade e a prefeitura deve investir nessa área.”

Ele acredita que o uso da bicicleta como meio de transporte deve ser fomentado no país. “A gente precisa realmente levar isso como um fator de mobilidade inteligente e incentivar seu uso”, opina.

O estudante de Letras da UNESP e professor, Cesar Rangel, começou a utilizar sua bicicleta como meio de transporte há seis anos. “Eu vim estudar em Araraquara e ela era meu único meio de locomoção.”

Rangel reafirma que o principal problema que ele enfrenta no seu dia a dia é a falta de respeito dos motoristas. “As ruas são apertadas e os motoristas são egoístas, o ciclista é deixado de lado, já fui atropelado três vezes, em uma delas o carro foi atravessar virando a esquerda e não deu seta. Os motoristas esquecem do senso de coletivo na rua, não são só eles a transitar", salienta.

O estudante utiliza a ciclovia que vai até o Campus da UNESP todos os dias e acredita que Araraquara deveria ter mais delas. “A ciclovia do Campus é bastante utilizada, a maioria dos alunos vai para aula de bicicleta, o único problema é que por falta de calçadas, os pedestres utilizam a mesma via e, com isso, temos que tomar cuidado para desviar das pessoas."

Apesar das dificuldades enfrentadas ele apoia o uso das bicicletas. “É um meio de transporte viável e deve ser incentivado”,finaliza.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/