Ageuniara

Rincão tem o vereador mais jovem do Estado

Por: FERNANDO HENRIQUE STIVALETTI VITOR

15/03/2013

João Matheus Bolito é um jovem apaixonado por política, que aos 18 anos é um dos vereadores de Rincão. Foi o vereador mais votado na cidade, conquistando 6,10% dos votos válidos na última eleição e é considerado o vereador mais jovem do Estado de São Paulo.

Seu interesse em participar ativamente da política surgiu quando um projeto de handball, do qual participava, foi rompido pela administração anterior do município. Assim, João assumiu a liderança do grupo de esportistas para lutar pela continuidade e melhorias no projeto. Procurou ajuda junto aos políticos da cidade e não encontrou: “Eu encontrava ajuda financeira para manter o projeto e isso não é ajuda política, ajuda política é algo constante”.

No ano de 2009, João começou a participar de sessões e audiências publicas na Câmara Municipal, onde diz ter encontrado mais decepções. No ano de 2011, filiou-se ao Partido dos Trabalhadores (PT) e em 2012 decidiu candidatar-se a vereador. João Matheus diz ter encontrado grande apoio em sua família, que milita no PT e em seus amigos, não só de Rincão, mas também da UNESP, onde estuda Ciências Sociais.

Objetivos

João Matheus tem como foco propor projetos, criar leis e emendas principalmente na área do esporte e da educação, que foram as que o fizeram participar ativamente da política. Durante as eleições, recebeu grande apoio por parte de profissionais da educação do município.

Jovem na política

Para João, é necessário que haja investimentos na educação para que os jovens passem a se interessar por política. Considera Filosofia e Sociologia como matérias essenciais, pois a partir delas é que os jovens desenvolvem senso crítico e a participação política surge naturalmente.

Renovação

João Matheus atribui sua vitória nas eleições à necessidade de renovação. Para ele, o povo quer mudar, renovar. Assim, foram votos de esperança.

João filiou-se em 2011 ao PT, partido em que seus familiares são militantes. As polêmicas como o “mensalão” e as políticas de aliança adotadas pelo partido nos últimos anos, não fazem com que João mude sua ideia sobre o partido:

“É preciso ter muita cautela ao comentar o tema 'Mensalão' que coloco entre aspas por esta nomenclatura ter sido criada pela mídia e pela oposição ao governo Lula, na época. Portanto, sempre colocarei a palavra 'suposto' antecedendo a nomenclatura”, explica.

Ressaltou que o julgamento do caso foi midiatizado de forma que fez com que a população tornasse ainda mais descrente na política brasileira. "Por quê? Porque os envolvidos no suposto mensalão eram bibliograficamente ressaltados como somente malfeitores, deixando todas as histórias na construção da sociedade democrática que Zé Dirceu, Genoíno tem, por exemplo. Então, a contextualização desse julgamento inicia-se de forma desigual para com os companheiros", defende João Matheus.

Segundo o vereador, "o STF julgou o suposto mensalão como verídico e condenou alguns envolvidos. Mas a mídia não mostrou as opiniões adversas do próprio presidente da entidade (Joaquim Barbosa), transpassando assim uma imagem daquele ministro como o 'Salvador da Pátria'. Mas, contudo, a história não tem só um lado. O ministro Lewandowski foi um dos (senão o que) mais problematizou o caso. Colocou pontos de interrogação em todos os âmbitos, o que só engrandece um julgamento, pois assim é que se mostram novas possibilidades e acontecimentos", enfatizou.

O vereador recomendda a leitura do livro do jornalista Paulo Moreira Leite, "A outra história do mensalão", obra que, explica, coincide com a visão dele sobre o assunto.

Para João Matheus, o PT se mantém com seus princípios iniciais. "O Partido dos Trabalhadores apenas vem se adaptando ao novo mundo político, não perdendo, jamais, seu ideal de cumplicidade ao povo, a sua ideologia esquerdista e a honestidade de suas ações", afirma.

Convite

João convida a todos para que participem sempre que possível das sessões e audiências publicas, pois é muito importante que a população acompanhe de perto o trabalho dos políticos e participe ativamente da política.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/