Ageuniara

Programa Escola da Familia é destaque em escola de Ibitinga

Por: DEBORA CAMARGO

17/05/2011

O programa Escola da Família foi criado no dia 23/08/2003 pela Secretaria de Estado da Educação. O primeiro objetivo do programa era criar um espaço de lazer e cultura, não só para os alunos da escola local mas, para toda comunidade que, até então, não tinham outras opções de atividades para desfrutarem aos finais de semana.

Atualmente milhares de universitários de todo o Estado de São Paulo dedicam seus finais de semana ao programa Escola da Família, implantando projetos sociais e educativos para a comunidade, em contrapartida tem seus estudos custeados pelo programa Bolsa Universidade.

A escola estadual "Josepha Maria de Oliveira Bersano", de Ibitinga (SP), é uma das escolas que, desde o inicio de implantação do programa, acreditou no potencial do mesmo e hoje é referência e destaque na cidade através de seus projetos e ações de responsabilidade social.

Projetos que merecem destaque:

Dentre todos os projetos desenvolvidos pela escola Josepha durante os sete anos de atuação do programa Escolada Família, dois merecem maior destaque devido a sua abrangência no desenvolvimento da Cultura de Trabalhabilidade aplicada através do empenho dos Educadores Universitários e Voluntários.

O primeiro destaque é o projeto da creche “Cantinho Encantado”. O projeto foi implantado através do programa superAção Jovem desenvolvido pelo Instituto Ayrton Senna.O intuito do programa é fazer com que os jovens através de uma equipe enxergue os problemas da comunidade e da escola e tentem minimizá-los ou até mesmo solucioná-los.

Como Ibitinga é a Capital Nacional do Bordado, todos os sábados acontece, no centro, a tradicional feira de artesanato onde são vendidos produtos confeccionados nos lares pela população.

Segundo o professor e educador,Renato Macedo Gonçalves, responsável pelo programa Escola da Família, na escola Josepha, as alunas do Magistério ficaram sensibilizadas com as dificuldades que os pais enfrentavam para levar seus filhos ao local de trabalho. “Então resolveram se unir e montar uma creche dentro da escola para acolher aos finais de semana os filhos desses vendedores”, explica ele.

“A idéia deu certo e melhorou significativamente a vida dessas famílias. As crianças foram recebidas com muito carinho e dedicação pelas nossas universitárias”, comenta Macedo.

A escola abria suas as portas todos os sábados às 7h, servia café da manhã, desenvolvia atividades lúdicas e servia almoço ao meio dia. O expediente da creche terminava as 13h (horário de encerramento da feirinha).

Outro destaque da escola foi o Projeto "Jovem Comunicador”, com o intuito de divulgar as atividades do programa Escola da Família e levar entretenimento à comunidade.

O projeto foi desenvolvido em parceria com uma rádio local que cedia todos os domingos à tarde 15 minutos de sua programação para os universitários.

Macedo ressalta que a escola já liberava a programação da rádio, nos horários do intervalo dos estudantes, mas isto não foi o suficiente e, então, surgiu a idéia de ultrapassar os muros da escola. ”Foi aí que nasceu o Jovem Comunicador”, diz ele.

Pessoas que fazem a diferença

De acordo com Macedo, para fazer a diferença e mudar a realidade do próximo não precisa muita coisa. "Basta ter um pouco de vontade que a coisa acontece”. Bons exemplos são a professora aposentada Ana Braga Simões e o professor de dança de Rua, Gerson Abelha, também conhecido como “Gato”.

Eles foram um dos primeiros idealizadores dos projetos desenvolvidos pela Escola da Família do Josepha.Ela com o projeto “Aprendendo Brincando”,que reativou a Biblioteca e passou a atender a população aos finais de semana. E Abelha com o projeto de dança de Rua.Ambos os projetos permanecem até hoje.

Para Macedo Ana e Gerson Abelha são exemplos de superação e dedicação, ”afinal eles não ganham nada para participar dos projetos e, mesmo assim, doam parte de seu dia para fazer a diferença e isto só reforça alguns dos ideais do programa Escola da Família que, entre outras coisas, desperta a potencialidade das pessoas para mudar a realidade da comunidade”, ressalta.

De acordo com o estudante de Educação Fisica da Uniesp de Taquaritinga(SP) e educador universitário da escola Josepha, Paulo Sérgio de Souza , sua vida é bem corrida, devido o fato de ter que conciliar trabalho, estudo e trabalho voluntário ao mesmo tempo. "Isto só me motiva, afinal tudo que é conquistado com esforço tem mais valor”, salienta.

Ainda, de acordo com Souza,“se não fosse pelo programa Escola da Família talvez hoje eu não estivesse na escola desenvolvendo meus projetos e conquistando o sonho de entrar para a universidade e me formar no curso de Educação Física”,observa. “Talvez hoje eu estivesse no mundo das drogas,mas em vez de me discriminar a escola me acolheu e me deu forças para continuar a sonhar em um dos piores momentos da minha vida”,completa.

“Hoje eu vejo a escola não como uma simples Instituição de ensino,mas como uma amiga que incentiva as pessoas a não desistirem de seu sonhos. E é justamente isto que o programa Escola da Família faz: incentiva as pessoas a conquistarem seus sonhos através da educação”, finaliza.

Projetos

Atualmente a escola Josepha desenvolve os seguintes projetos:

Biblioteca

Futsal

Xadrez

Truco

Futebol de Botão

Dama

Ginástica Laboral

Tênis de mesa

Vôlei

Oficina de Fuxico

Dança de Rua

Pintura em madeira.

Todos os projetos do programa Escola da Família são desenvolvidos de acordo com a profissão e aptdão dos universitários e, portanto, são transitórios e mudam anualmente.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/