[ mostrar mensagem ]

COMUNICADO

A Rádio Uniara FM 100,1 está temporariamente fora do ar para ajustes técnicos.

Em breve, toda a programação da rádio estará normalizada. Agradecemos a compreensão de todos os nossos ouvintes

Cordialmente,

Universidade de Araraquara - Uniara

[ ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Mídia e Sociedade exercem pressão sobre jovens

Por: ELAISE DA COSTA SILVA

29/06/2010

A mídia influencia no comportamento das pessoas a cada dia que passa.Ela controla as compras, os gostos, objetos de desejo e, até mesmo, o modo como cada pessoa irá se vestir.

Alguns dos exemplos mais dominadores entre os jovens, são as “cópias” da Lady Gaga, cantora americana, ou da banda NX Zero ou mesmo Restart, que são sucesso entre os jovens brasileiros.

Fernando Borsato dos Santos, 17 anos, se espelha em bandas como The Killers, 30 Second to Mars e Fresno.“Como me identifico com as músicas que essas bandas tocam e o estilo de vida que elas pregam me sinto inclinado a também me vestir como eles porque se parecem comigo pelos sentimentos, então também serão parecidos pelo estilo de se vestir”, afirma o jovem que apesar de não se rotular em nenhuma tribo, é por muitos tido como “Emo”.

Santos ainda ressalta as idéias que pretende passar quando se veste assim. “Acho que se vestir de certa maneira, é uma forma de reforçar seus pensamentos. Quando alguém te vê já supõe algo sobre você pela forma de se vestir e ao imitar essas bandas faço com que elas suponham que eu tenho algo parecido com elas”, conclui.

O jovem fala também dos problemas enfrentados com a família.“Meus pais são bastante religiosos e, como em geral, as roupas têm um estilo digamos não convencional eles não aceitam muito bem. Muitas vezes insistem para que eu mude meu estilo de vestir. Muitas vezes compram roupas para mim que eles consideram normais, mas que não condizem com minha personalidade”, encerra Santos, com a denúncia do preconceito que sofre dentro da própria família.

O psicólogo Marcos Sampaio Rus Barbosa,graduado pelo Centro Universitário de Araraquara(UNIARA),especialista em comportamento juvenil e educação dos pais, comenta sobre a influência e os principais fatores que fazem os jovens aderirem às modas diversas.“O fato dos adolescentes hoje se vestirem com as mesmas vestimentas de seus ídolos na busca de uma figura com a qual se identificar, se tornou parte desta etapa da vida.Porém, nos dias de hoje percebemos que existe um peso maior da pressão social exercida sobre o adolescente do que seu amor pelo ídolo e sua busca por uma identidade própria”.

Sampaio ainda ressalta um fator importante. “A falta de valores morais e éticos que asseguravam um limite necessário para a formação de nossa identidade, desperta uma necessidade muito grande, nos jovens, de aprovação, de reconhecimento alheio que, ao ultrapassar as barreiras da normalidade, acabam por se submeterem às diversas situações de risco para não serem exilados", opina.

"A mídia lança as tendências.Porém, o que motiva o jovem a se vestir de tal modo, a meu ver, não está na mídia propriamente dita, mas na aceitação ou não de determinado grupo àquela moda”,completa.

Ele fala sobre como os pais devem se comportar diante dessas reações dos seus filhos e como entendê-los. “Os pais precisam saber que o limite é determinado por aquele que cuida. Existem pais que chegam a se endividar para deixar seus filhos de acordo com as tendências. São filhos com medo de serem excluídos, caso não possuam aquela roupa, aquele celular, aquela moto, aquele seio aumentado, aquela barriguinha lipoaspirada, aqueles dentes branquíssimos e bem alinhados",observa.

Mas, ao mesmo tempo,segundo ele, existem pais inseguros com medo de se sentirem inferiores perante os outros pais caso seu filho seja diferente. "Isso porque vivemos numa sociedade que prega a diversidade. É uma luta desenfreada por um status. É importante também que os pais saibam que na adolescência os jovens têm uma necessidade enorme de aceitação e que para consegui-la serão capazes de se submeterem a qualquer tipo de situação, daí a necessidade de conversar com seus filhos, de dialogar sobre os riscos que os envolve e, se for preciso, às vezes, interditar certas atitudes e comportamentos e buscar um profissional capacitado”,orienta.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/