[ mostrar mensagem ]

COMUNICADO

A Rádio Uniara FM 100,1 está temporariamente fora do ar para ajustes técnicos.

Em breve, toda a programação da rádio estará normalizada. Agradecemos a compreensão de todos os nossos ouvintes

Cordialmente,

Universidade de Araraquara - Uniara

[ ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Utensílios de manicure podem transmitir doenças a usuários

Por: ANDREZA GOMES BATISTA

23/09/2008

Alicate, lixa de unhas e pés, espátulas, palitinhos de limpeza, bacia e afastador de cutícula são utensílios que podem ser fontes de transmissão de doenças se não forem esterilizados de maneira correta.

O dermatologista Dagoberto Sgarbi explica que instrumentos de manicure mal esterilizados podem transmitir de uma simples micose na pele — que provoca descamação, bolhas, coceiras e deixa as unhas mais grossas e opacas — até doenças mais graves como hepatite e AIDS.

“Para quem costuma freqüentar a manicure, é importante levar suas próprias ferramentas, para não ter preocupação, mas se optar por fazer as unhas em casa, a dica é sempre esterilizar as ferramentas com água fervente; assim as pessoas não terão risco de pegar doenças”, informou Sgarbi.

No salão de Beleza Reflexu´s, algumas clientes optam por levar seus próprios “kits de manicure”, outras preferem usar o do salão, mas poucas exigem protetores plásticos descartáveis nas bacias.

“Trabalho há 10 anos, nunca houve nenhum problema, esterilizamos os alicatinhos sempre que usamos”, enfatiza Tatiane Gonçalves de Paula, dona do salão.

Lucia Trindade, cliente do salão, gosta muito de arrumar as unhas, mas não exige protetores plásticos e descartáveis nas bacias.

“Freqüento o salão a cada quinze dias, levo sempre meu próprio alicatinho mas nunca exigi protetores descartáveis nas bacias, porque minha manicure lava a bacia sempre que usa”, disse Lucia Trindade.

Segundo Tereza Regina Romano, professora de manicure do Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), as alunas aprendem a esterilizar os alicatinhos sempre que usam, nas bacias são colocados protetores plásticos descartáveis e as lixas também são descartáveis.

“Procuramos sempre tomar bastante cuidado com a higiene; conscientizamos nossas alunas para não ter nenhum tipo de problema”, diz Tereza Regina Romano.

De acordo com as orientações do agente Luiz Alberto Garcia, da Vigilância Sanitárias, no processo de esterilização os cuidados básicos são: lavagem dos instrumentos com água e sabão com o auxílio de uma escova e secagem e esterilização em estufa, à temperatura de 170°C. Os objetos devem permanecer por uma hora sem abertura da estufa. Outra possibilidade é deixá-los por 30 minutos à temperatura de 180°C para exterminar totalmente vírus e bactérias.

“As toalhas devem estar lavadas e preferencialmente embaladas em saco plástico individualmente e guardadas em local limpo, seco e arejado; alicates, espátulas e outros materiais de metal devem ser esterilizados e embalados. O salão deverá possuir no mínimo seis peças de cada instrumento, usar protetores plásticos descartáveis nas bacias e lavar as bacias com água e sabão após o uso, além de usar lixa somente uma vez”, alerta Garcia.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/