Ageuniara

Agentes controlam a vida dos jovens atletas do futebol

Por: DANIEL SILVA MONTEIRO

27/05/2008

Destacados e influentes, agentes e empresários tornam-se os principais mandatários nos clubes de futebol no interior paulista.

O cenário é sempre o mesmo nos clubes de futebol do interior paulista: os jogadores ao centro do gramado, o treinador, junto de seus assistentes dando as instruções, alguns torcedores, materiais esportivos gastos, assim como a pintura do estádio ou suas instalações. E à parte de tudo isso, uma figura de terno e gravata observa tudo do lado de fora do gramado, celular na mão e olhar atento no campo.

Assim, aparentemente deslocado desse cenário é que os agentes e empresários costumam posicionar-se. Contudo, são eles que ditam o jogo, mandam e desmandam, escalam jogadores e controlam suas transferências para outros clubes de maior porte. E sempre em busca de maior lucratividade, são responsáveis pela grande rotatividade de jogadores e elencos nos clubes de futebol.

Desde a criação da lei Pelé os jogadores passaram a ser donos de seus próprios “passes” ou direitos federativos, tornando-se mais autônomos e independentes. Esses direitos começaram a ser negociados com os agentes que assumem o controle do destino dos atletas ao comprar a maior participação nos passes.

Normalmente cultos, esses empresários são, em sua maioria, pessoas com grande fortuna ou visão empresarial, que investem em jogadores com menos de 18 anos, baratos, para colherem os frutos no futuro. E acabam controlando a vida do jogador a partir de então. “Este ano já perdemos três jogadores das categorias de base, que foram para outros clubes, além de vários outros do time principal. Sempre que um campeonato começa, temos que reestruturar todo o time”, afirma Everton Santos, treinador das categorias de base do Esporte Clube Fênix, clube semiprofissional de São Carlos.

A falta de dinheiro nos clubes interioranos apenas agrava o problema, de acordo com Everton: “Um empresário chega aqui com dez jogadores de graça. Já um clube oferece dois por mil reais. Com qual nós vamos negociar?”.

Ex-jogador, ex-agente esportivo e atualmente Secretário de Esportes de São Carlos, Édson Ferraz afirma que não são apenas clubes desse porte que sofrem com a influência dos empresários. “Oficialmente ninguém afirma isso, mas todos os clubes sofrem com eles (agentes). O São Carlos (Futebol Clube) tem que reconstruir o time em todo começo de campeonato por causa do desmanche e da venda de jogadores que os empresários fazem”. Garante que são os agentes e empresários que “realmente mandam” nos clubes.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/