Ageuniara

Taquaritinga registra o menor número de casos de dengue

Por: NATÁLIA FERNANDA NUNES

04/04/2007

Um levantamento feito na região, pela Secretaria de Saúde, mostra que Taquaritinga(SP)tem o menor índice de casos de dengue até março deste ano.Até o dia 28 o município registrou, oficialmente, dez casos da doença, que é transmitida pelo mosquito Aedes aegypti.

Do total de casos, nove foram contraídos na cidade e um é “importado” – uma pessoa que voltou de Ribeirão Preto(SP),onde já foi registrado até mesmo caso de dengue hemorrágica.

Porém, nesta última semana (28/03 a 04/04), segundo o Coordenador do Demcove, Fabrício Araújo, a cidade registrou mais 11 casos da doença e eles ainda aguardam alguns testes que foram enviados ao Instituto Adolpho Lutz, em Ribeirão Preto.No total são 21 casos confirmados.

Cidades como Matão(SP) e Itápolis(SP) vizinhas de Taquaritinga registraram mais de 30 casos e em Bebedouro(SP) foram 800 casos.

Taquaritinga tem mantido índice de propagação de dengue bem abaixo de outros municípios da região por ter montado estratégias com vigor e trabalhos de fiscalização e nebulização, desde o final do ano passado, principalmente em borracharias, ferros-velhos e imóveis comerciais que têm grande fluxo de pessoas.

Porém, os agentes de controle de vetores alertam que uma parte da população, principalmente na área central da cidade, não tem colaborado, impedindo-os de vistoriar suas residências, o que pode fazer com que a situação no município se agrave.

O período de “pico” da dengue é de janeiro a maio, por isso os funcionários do Demcove começaram a vistoriar as residências deste o final do ano passado.

Divulgação de combate à Dengue

Segundo moradores da cidade, no final do ano passado, funcionários do Departamento Municipal de Controle de Vetores (Demcove) fizeram um arrastão em imóveis de Taquaritinga em busca de criadouros com larvas do mosquito da dengue e encontraram cerca de 50 focos de larvas do Aedes aegypti.

Foram estabelecidas equipes de atuação para visitas domiciliares de rotina e na conscientização dos moradores sobre os perigos do mosquito nessa época de chuvas.

Eles dizem que os funcionários do Demcove e da Secretaria Municipal de Saúde, realizaram pedágios na Rua Prudente de Morais,a principal da cidade, entregando areia grossa e panfletos ilustrativos.

Na Praça Dr. Waldemar D’Ambrósio (antiga Centenário), houve exposição de equipamentos e orientação sobre criadouros.

Neste ano, segundo o Coordenador do Demcove, a divulgação está sendo mais “boca a boca”, assim que é descoberto uma suspeita da doença, os funcionários comparecem até as residências daquela área e avisam os moradores.

A divulgação também é feita através das rádios e dos jornais que, segundo ele, colaboram para trabalho. Ele diz ainda que a colaboração da população é boa, porém algumas pessoas, não só em Taquaritinga mas como em todo o estado de São Paulo, não acreditam que existe a dengue.

Ele afirma que na cidade as pessoas deixam realizar a vistoria e depois de um mês são encontrados focos da doença novamente, nestas residências."Algumas pessoas ainda não têm a consciência de que a dengue é grave", diz.

O mosquito

O mosquito Aedes aegypti é escuro e rajado de branco.É menor que um pernilongo comum e pica durante o dia e se desenvolve em água parada e limpa.

A única maneira de evitar a dengue é acabar com os criadouros: garrafas, pneus, pratos de vasos de plantas e xaxim, bacias, copinhos descartáveis, caixas d’água e cisternas destampadas.

De acordo com o enfermeiro da Santa Casa de Taquaritinga, Cláudio André Nunes, a pessoa com suspeita de dengue não deve tomar analgésicos a base de dipirona, pois quando este medicamento entra em contato com o vírus da dengue, pode levar o doente a morte. O medicamento mais indicado, segundo ele, é o paracetamol.

Prevenção

Segundo o enfermeiro, uma pessoa com dengue apresenta os seguintes sintomas: dores nas articulações, dor na cabeça, febre e náuseas.Quando estes sintomas forem verificados a pessoa deve procurar um pronto socorro para receber o tratamento adequado como: hidratação com soro, controle da temperatura e medicação para os dores de cabeça.

De acordo com ele, os sintomas aparecem depois de quatro a sete dias da picada. Mesmo com o tratamento os sintomas permanecem no organismo por até dez dias.

Caso a pessoa contraia a dengue, pela segunda vez, pode adquirir a dengue hemorrágica, que causa a morte. Segundo Nunes, um dos métodos para descobrir se uma pessoa está com dengue, antes mesmo de apresentar os sintomas, é o método do garrote ( espécie de elástico ou corda)

Este método consiste em pegar o garrote e prender no braço por cinco minutos, se aparecer manchas claras de 1centímetro ou mais, a pessoa deve procurar tratamento.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/