[ mostrar mensagem ]

COMUNICADO

A Rádio Uniara FM 100,1 está temporariamente fora do ar para ajustes técnicos.

Em breve, toda a programação da rádio estará normalizada. Agradecemos a compreensão de todos os nossos ouvintes

Cordialmente,

Universidade de Araraquara - Uniara

[ ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Centro atende pessoas com distúrbio bipolar

Por: VANESSA DE CAMARGO FABOSO

08/11/2004

O Centro de Reabilitação de Araraquara (SP), atende pessoas carentes que sofrem de distúrbio bipolar, essas pessoas têm acompanhamento assistido por uma equipe composta de psicólogo e psiquiatra.

No passado, as pessoas costumavam evitar quem tinha transtornos do humor.O resultado é que muitos eram marginalizados.Alguns eram discriminados no trabalho, outros eram deixados de lado por membros da própria família.Em geral, isso servia para agravar o problema e impedir que a pessoa recebesse ajuda.

Este tipo de distúrbio pode acometer a pessoa com melancolia profunda, desaparecer por anos, e atacar novamente, mas com uma euforia desmedida.

Membros da família, muitas vezes, se sentem confusos com o comportamento imprevisível dos que têm distúrbio bipolar.

Os transtornos do humor não são diagnosticados com um simples exame ou raio X.É preciso monitorar por determinado período o comportamento, o padrão de pensamento e o senso crítico da pessoa.

Mário Mendonça, por exemplo, cuja esposa sofre desse distúrbio, afirma que às vezes fica confuso de ver sua mulher alegre e comunicativa e daí, de repente, ficar desanimada e se fechar. "É muito difícil aceitar que ela praticamente não tem controle sobre isso".

No começo, o que lhe ajudou foi acompanhar a esposa ao médico e estudar a doença."Mantivemos bem abertas as linhas de comunicação e enfrentamos juntos cada situação que foi surgindo", conta Mendonça.

Segundo o médico psiquiatra Dr.Rafael Monteiro, de Araraquara(SP), a causa para o desenvolvimento da doença pode estar ligada a fatores genéticos, como também, na maioria das vezes, as experiências pelas quais a pessoa passa na vida parecem exercer influência.

"Quando há desequilíbrio bipolar, é possível que haja necessidade de medicação.Em outros casos, talvez se recomende um programa de aconselhamento para ajudar a pessoa a aprender a lidar com a situação.Às vezes, a combinação dos dois métodos produz bons resultados”, comenta.

Dr.Monteiro explica que a doença atinge duas vezes mais mulheres do que homens, em parte talvez possa ser atribuído à suscetibilidade à depressão pós- parto, bem como às mudanças hormonais na menopausa.

Jovens e crianças também são vítimas do distúrbio bipolar e na maioria dos casos, a doença se manifesta no início da fase adulta.

"Quando alguém da família tem o distúrbio, é importante dar apoio e encorajamento à pessoa. Mendonça aprendeu essa lição logo de início", orienta.

De acordo com a psicóloga Angela Massucato, o distúrbio bipolar é o camaleão dos transtornos psiquiátricos."Os sintomas variam de um paciente para outro, e o mesmo paciente pode apresentar sintomas diferentes a cada episódio",diz.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/