Ageuniara

Museus atraem turistas em Monte Alto

Por: NICOLAS LIMA BERTATE

21/10/2004

O Museu "Dr. Fernando José Freire de Andrade", que se divide entre as áreas da Paleontologia, Arqueologia e História Regional, situado em Monte Alto(SP), atrai ,cada vez mais, o interesse de visitantes.

A cidade, que conta com um relevo diferenciado na região, já teria sido um pântano, o que explicaria a grande quantidade de ossos de dinossauros e várias outras espécies pré-históricas.

Com destaque, no meio nacional de estudos, e incomparável quantidade de material encontrado, a área do Museu destinada à Paleontologia, conserva cerca de 2 mil fósseis distribuídos em mais de 80 vitrines.

Fundado, em 1992, pelo professor de Economia, Antonio Celso de Arruda Campos, a área Paleontológica, atraiu a atenção de diversas universidades do país, dos quais inúmeros profissionais e cientistas da área, se interessaram pelo projeto e assessoram a empreitada do economista.

Arruda Campos, que trabalhava como Oficial de Justiça, e lecionava na antiga Escola do Comércio no município, encontrou por acaso a primeira ossada, no ano de 1984, devido ao aviso da filha de um fazendeiro local, que ao buscar um bezerro perdido deparou-se com um grande osso, que não se parecia com nada que já houvesse visto.

A partir deste momento, o professor iniciou sua dupla jornada, dividindo-se entre suas atividades profissionais, e o então hobby, ao escavar e estocar as ossadas em sua própria residência.

Ao aposentar-se, em abril de 1992, o professor assumiu em julho, do mesmo ano, a direção do Museu de Paleontologia, construído no Centro de Artes.

Hoje o Museu conta com o apoio técnico de professores do Departamento de Geologia Sedimentar da Universidade Estadual Paulista(UNESP), de Rio Claro (SP), destacando-se pela singularidade de estudos realizados na área e pela quantidade de trabalhos acadêmicos que envolvem suas pesquisas.

Apesar da importância turística e acadêmica do Museu, apenas três funcionários trabalham, em suas instalações, em contraponto às mais de 30 mil pessoas que o visitaram no último ano.

"A cidade ainda não tornou-se capaz de explorar devidamente suas qualidades turísticas, investindo melhor nesses pontos e divulgando o que há para se conhecer e admirar por aqui. Assim como os fósseis presentes, acho que toda e qualquer forma de cultura, não deve ficar restrita a poucos, pois se trata de um bem da humanidade", ressalta o professor.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/