202101190010

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Crianças amamentadas no peito são mais saudáveis

Por: ISRAEL MARCONDES CESAR

24/09/2004

Toda mãe deve pensar muito antes de insistir que o filho aceite a chupeta ou a mamadeira. Segundo dados da ONG Origem,um grupo de apoio de promoção do aleitamento materno, uma pesquisa feita com 20 mil crianças que apresentavam infecções graves, constatou que 96,7% alimentavam-se com mamadeira, enquanto que 3,3% mamavam ao seio.

Segundo dados do Ministério da Saúde, apenas 53% dos bebês são amamentados exclusivamente no primeiro mês de vida. Depois disso, a taxa cai para 9,7% quando os bebês têm entre 5 e 6 meses. A duração mediana do aleitamento materno exclusivo nas áreas urbanas do brasil é de 23,4 dias.

Crianças alimentadas com leite materno têm quase 25 vezes menos possibilidade de morrer por diarréia do que aquelas que tomaram alimento artificial nos dois primeiros meses, e o risco é 14 vezes menor para crianças de até 18 meses. O bebê que só toma leite materno, e não bebe nem água, está protegido contra o cólera.

O Brasil têm uma norma que regulamenta todas as ações de marketing das empresas fabricantes e comercializadoras de alimentos para crianças de 0 a 3 anos de idade, assim como as empresas de mamadeiras, bicos ou chupetas.

A norma não proíbe a venda desses produtos, mas coloca limites a todas as estratégias de marketing, como as utilizadas nos postos de vendas.

Nos rótulos de mamadeiras, chupetas e bicos de forma geral tem que estar escrito que "a criança amamentada ao seio não necessita de mamadeira e de bico". É proibido ainda o uso de frases que possam sugerir semelhança desses produtos com a mama e o mamilo.

O comerciante tem que evitar exposições especiais desses produtos, cupons de desconto, prêmios ou bonificações. Os fabricantes buscam seduzir os consumidores desses produtos com formas diversas e cores variadas.

Em uma escolinha de São Carlos (SP), as crianças que têm mais de dois anos e meio mantêm a chupeta dentro da mochilinha.

O produto só é permitido cinco minutos por dia (depois do almoço que é a hora de relaxar e assistir um pouco de TV), fora disso, está proibida. Tudo isso para educar as crianças longe da chupeta.

A pedagoga Malú Oliveira explica que o objetivo da proibição não é para castigar, mas sim, para manter as crianças longe das chupetas e mais saudáveis. Ainda segundo a pedagoga, a chupeta sacia a ansiedade, fome, satisfaz e é ainda um entretenimento.

A pediatra Denise Lopes Mestrinel, explica que bicos, mamadeiras e chupeta atrapalham a saúde da criança. E o motivo é simples: esses produtos induzem ao desmame precoce, ou seja, a criança abandona o peito da mãe antes da hora



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/

Saiba o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações. Utilizamos cookies essenciais e analíticos de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

ENTENDI