Ageuniara

Araraquara realiza campanha de prevenção à Aids

Por: ANDREIA CRISTINA BENITE

10/11/2003

Araraquara(SP) está desenvolvendo a campanha "Fique Sabendo".O objetivo é estimular a população a procurar o exame de sorologia do HIV, nas unidades básicas, garantindo total discrição.

Vinculada ao Ministério da Saúde, a campanha teve início dia 13 de outubro e não tem data para terminar. Seu primeiro balanço será realizado dia 13 de novembro.

O público alvo são maiores de 20 anos com vida sexual ativa. É feita uma entrevista diretamente com a enfermeira responsável da unidade para agilizar o processo, e entrega do pedido de exame, para ser realizado na Unesp(Universidade Estadual Paulista). O resultado é entregue pela própria enfermeira.

No caso de pessoas com menos de 20 anos, é necessário consulta médica para pegar o pedido de exame, pois essas pessoas não estão incluídas na campanha.

O diferencial é que a pessoa pode pegar seu pedido em qualquer unidade de saúde, ou seja, em outro bairro, o que dá uma garantia maior de sigilo.

"A Aids é uma doença com um certo preconceito. É difícil a pessoa assumir que tem o vírus, por medo, pouco esclarecimento, enfim, essa campanha além do auxílio aos pacientes pretende saber o número, pelo menos quase exato das pessoas portadoras do HIV, porque com um índice mais próximo do real, poderemos modificar ou acentuar as ações de saúde, como campanhas preventivas, com a faixa etária mais acometida, sexo, e obter outros dados necessários", comenta a enfermeira Graziela Mariani Fregonesi Falleiros, chefe do centro municipal de saúde da Yolanda Opice.

Segundo ela, é importante esclarecer que o portador pode ter o vírus do HIV, mas não estar doente. "O doente é o portador com baixa resistência do organismo que começa apresentar algumas doenças oportunistas, e com isso se torna doente de Aids, que às vezes necessita de internação. Isso diminuiu bastante porque o número de procura pelo tratamento gratuito aumentou".

Segundo Graziela essa campanha é muito importante pois muitas pessoas podem não ter feito o exame por falta de informação, sendo que todos os centros de saúde da cidade realizam o exame e é gratuito, além de ter total sigilo.

Marisa Marques Monteiro, enfermeira do ambulatório de DST/AIDS, informou que segundo o balanço feito de 1988 a 2002, há no município de Araraquara 1.027 pessoas portadoras do HIV e notificadas, o que dá uma média de 80 casos novos por ano.

"A predominância é na faixa etária dos 20 aos 49 anos, e casos em adolescentes são pouco conhecidos", afirma.

Outro dado importante é que no início da pesquisa haviam 27 homens infectados para cada mulher. Hoje a proporção é de um para um, e isso não significa diminuição nos homens, mas sim aumento nos casos entre as mulheres.

No começo da epidemia, o grupo de risco eram homossexuais, pessoas de boa renda e os focos eram nos grandes centros.

Atualmente há casos em todo o interior e até em zonas rurais, também na categoria heterossexual, e com aumento nos casos com mulheres casados ou de relacionamento fixo.

E também houve um discreto aumento nos casos em bissexuais. Entre usuários de drogas os números de casos diminuíram.

Segundo o ultimo boletim divulgado, Araraquara está em décimo terceiro na lista nacional dos municípios com maior índice de incidência nos casos de HIV, mas esse número varia semestralmente. “Só com a conscientização da população as medidas de saúde poderão obter sucesso” diz Graziela.

Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/