202101270152

mostrar mensagem ]

Comunicados Oficiais - UNIARA (COVID-19)

Em virtude da pandemia global de COVID-19, as atividades da Universidade de Araraquara - Uniara sofreram alterações.

Clique aqui e confira todos os comunicados oficiais da Instituição.

ocultar ]

UNIARA

Ageuniara

Inclusão social: o caminho para o fim do preconceito

Por: CAROLINA GOMES DE FARIA

21/02/2017

Segundo um censo escolar de 2015, 93% das crianças com deficiência estão matriculadas em salas comuns das redes de ensino, porém alguns pais ficam apreensivos em matricular seus filhos especiais em escolas tradicionais pelo medo de como a criança será recebida e se terá profissionais capacitados para suprir a necessidade de tais crianças.

Apesar de a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBN) de 1996, que obriga que haja professores especializados para lidar com crianças especiais entre outras medidas que ajudem na inclusão da criança, alguns pais ainda ficam muito preocupados em colocar seus filhos com alguma deficiência em classes comuns.

Segundo a estudante de Direito, Nathalia Mourão, de Araraquara (SP), e irmã de uma criança com Síndrome de Down, a decisão da escola é bem complicada, pois há certo medo de que a irmã não será bem recebida. Porém, seus pais decidiram por colocar sua irmã em uma escola particular e, após a criança começar ingressar na escola, Nathalia relata que sentiram que sua irmã havia criado mais liberdade e independência e, que além de tudo, está muito feliz.

Nathalia resalta que a importância de sua irmã conviver com outras crianças se dá ao passo que a irmã terá consciência de que sua diferença não a torna menor ou menos importante que qualquer outra pessoa, e é importante que ela veja que pode fazer tudo aquilo que sonha independente de suas diferenças.

A professora Pamela Camilo, de Boa Esperança do Sul (SP), que já foi cuidadora dentro da sala de aula de uma criança especial, diz que é de suma importância que a criança com deficiência, seja ela motora ou intelectual, seja inserida na escola desde o ensino infantil para que ela seja educada e tenha os mesmos direitos de todos. Pamela explica que é importante que a pedagogia seja focada na criança, sendo capaz de satisfazer suas necessidades e educar a todos sem discriminação.

Ela ainda fala que é importante que a criança inclusa seja aceita. "Por isso é trabalhado as diferenças, ensinado que cada um é diferente e que é preciso ter respeito", observa. A professora explica ainda que a criança especial não atrapalhará em nada o rendimento das crianças, pois quando há uma criança especial dentro da sala de aula, há um professor para acompanhar essa criança além do professor regular da sala de aula.

Publicada em 21/02/2017 às 21h17.



Destaques:

Reportagens recentes:

Todas as reportagens

Reproduzir o conteúdo do site da Uniara é permitido, contanto que seja citada a fonte. Se você tiver problemas para visualizar ou encontrar informações, entre em contato conosco.
Uniara - Universidade de Araraquara / Rua Carlos Gomes, 1338, Centro / Araraquara-SP / CEP 14801-340 / 16 3301.7100 (Geral) / 0800 55 65 88 (Vestibular)
N /ageuniara/

Saiba o que fazemos com os dados pessoais que coletamos e como protegemos suas informações. Utilizamos cookies essenciais e analíticos de acordo com a nossa política de privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.

ENTENDI