reportagem

Rodovias da região de Barretos são as que registram mais acidentes com mortes

Repórter: FERNANDO HENRIQUE ALVES CARNEIRO

Rodovias da região do 2º pelotão de Barretos registram vários acidentes com vítimas nos últimos dois meses. O local com maior número de acidentes é a rodovia Brigadeiro Fária lima, no trecho entre Barretos e Colombia.

A 1ª Companhia de Policiamento Rodoviário de Araraquara é responsável pelo comando de três pelotões (Araraquara, Catanduva e Barretos). O 2º pelotão, com sede em Barretos, é o que tem a menor malha viária, com 521,251 Km, mas apresenta o maior volume de acidentes com mortes. No mês de abril foram registradas 13 mortes, e no mês de maio 8 mortes.

Não somente a rodovia Brigadeiro Faria Lima (SP 326) contribui para a estatística desfavorável de acidentes. Também outras rodovias com pista simples e grande movimento de veículos de carga elevam os números trágicos de acidentes do 2º Pelotão da Polícia Rodoviária.

Entre elas estão a Assis Chateaubriand(SP 425,Guaíra - São José do Rio Preto - Presidente Prudente - Divisa do estado do Paraná) e a Armando de Sales Oliveira (SP 322) no seu trecho não duplicado, de Bebedouro a Cardoso.

Essas rodovias suportam alto volume de tráfego de caminhões pesados e manutenção insuficiente por parte do DER (Departamento de Estradas de Rodagem, órgão estadual). Excesso de veículos pesados, de buracos e ausência de acostamentos, aliados a usuários que abusam de ultrapassagens perigosas em locais proibidos e momentos inadequados resultam em índices de acidentes muito acima da média geral do Estado.

Rodovia da Morte

O segmento da rodovia Brigadeiro Faria Lima entre Colômbia e Barretos vem sendo chamado de "rodovia da morte" e dá origem a um movimento regional que reivindica a duplicação do trecho, com cerca de 50 quilômetros. Esse trecho é parte da principal ligação da região metropolitana de São Paulo e do porto de Santos com Brasília e norte do país, razão do grande movimento de veículos pesados, agravado por caminhões canavieiros de usina de álcool instalada na zona rural do município de Colombia.

Liderado por Nilton Vieira, mais conhecido como “Niltinho”, funcionário da Prefeitura de Barretos, o movimento denuncia o descaso do DER com o estado da rodovia. A partir da repercussão de um abaixo assinado virtual, foi criado o “Comitê Regional pela Duplicação da Faria Lima”.

O comitê é formado por representantes de Barretos e Colômbia, com apoio de autoridades de cidades da região, incluindo algumas de Minas Gerais.

O movimento já paralisou o tráfego na rodovia em duas ocasiões, além de cobrar providências com envio de documentos para órgãos estaduais e federais. Mas nada ainda surtiu efeito.

O capitão Márcio Rogério Simplício, comantande da 1ª Companhia, é a favor da comunidade local se mobilizar para exigir melhorias das rodovias. "A população local tem mais legitimidade para apontar e sugerir soluções para os problemas", diz o policial.

Quando ocorreu a paralisação do tráfego e as manifestações na Rodovia Faria Lima, a Polícia Rodoviária atuou garantindo a segurança necessária, tanto para os manifestants quanto para os usuários da pista.

Enquanto o DER não toma providências para a duplicação e a melhoria da rodovia, a Polícia Rodoviária tenta neutralizar ou ao menos reduzir a possibilidade de acidentes. A atuação visa melhorar o aspecto comportamental dos motoristas, ou seja, fiscalizando condutor e veiculo.

A ação objetiva coibir ultrapassagens em locais não permitidos, coibir excesso de velocidade com uso de radares fotográficos e implementar maior fiscalização de excesso de peso, das faixas refletivas e do sistema de iluminação dos caminhões.

Ver Lista Completa >>>


© 2014 - Uniara - Centro Universitário de Araraquara